JÁ PASSARAM AQUI

Contador de visitas

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

É FÁCIL FALAR QUANDO NÃO É VOCÊ QUE ESTA VIVENDO O PROBLEMA ...(SOLUÇÕES PARA O FALATÓRIO CHATO)


Já observou como aparecem pessoas para dizer que o problema só depende de você?

É fácil falar de um TDAH quando não se é TDAH, quem sabe a dimensão do problema é quem vive, acho que por isto é tão mais fácil a pessoa chamar nossa atenção com broncas e xingamentos quando cometemos nossos clássicos erros diários.

Se por um dia essas mesmas pessoas pudessem conviver com o problema e cometer esses mesmos erros bobos usariam menos palavras duras conosco, principalmente quando se encontrassem em um comodo de suas casas se perguntando: " O que é que eu vim fazer aqui mesmo?". Nos cobrariam menos resultados imediatos por coisas que trabalhamos duas vezes mais que pessoas sem o transtorno para conseguir.

Mas uma coisa é certa meus nobres e caros companheiros de luta, o sol nasce para todos e não tem esta de questionar o sombreiro de ninguém  é ir a luta com aquilo que temos, erguer a cabeça e ignorar as situações em que não podemos mudar. Você é TDAH e ponto!

Contudo, uma coisa que precisamos exercitar e que geralmente as pessoas precisam fazer isto três vezes mais conosco é a PACIÊNCIA,  por que realmente lidar com um portador de TDAH não é fácil! Se tivesse uma câmera filmando nossas ações por um segundinho que fosse você veria que a impulsividade faz com que tenhamos atitudes severas por demais com as pessoas que amamos, a vontade incontrolável de gritar e reagir quando instigam a nossa ira, nada pode ser mais complicado do que isto.

Assim, fique ligado na DICA:

SEMPRE QUE ALGUÉM DISSER QUE O PROBLEMA SÓ DEPENDE DE VOCÊ, TENTE MOSTRAR A PESSOA QUE ELA ESTA ENGANADA NÃO COM SEUS PRÓPRIOS ARGUMENTOS O POR QUE DE CERTAS ATITUDES SUAS, E SIM PROCURE UM VÍDEO OU UM ARTIGO RELACIONADO AO TEMA DE FORTE IMPACTO, ISTO VAI AMENIZAR EM 80% SEU PROBLEMA COM ESTA PESSOA

sábado, 1 de dezembro de 2012

SOME E NEM DA SATISFAÇÃO ESSE POVO

Certamente a coisa que sua mente inquieta mais pensou nos últimos meses... Onde foi parar o bendito povo do Gatre hein???


O GATRE morreu foi?

QUE MORREU O QUE, TÁ VIVINHO DA SILVA, SÓ TAVA COM UMA LICENÇA MATERNIDADE MUITO ESTICADA...RSRSR

VAI MORRER DE RIR SE VER A PEGADINHA DESTA MENINA NO ELEVADOR DO SILVIO SANTOS

 

Mas voltando ao foco...rsrs 
Só gostaria de dizer que O GATRE VOLTOU E VOLTOU COM TUDO!!!
PRÓXIMO ENCONTRO EM JANEIRO, FIQUE LIGADO NO BLOG, NO FACEBOOK, NO SEU E-MAIL E NÃO PERCA A INSCRIÇÃO.

CAMARÃO QUE DORME A ONDA LEVA, MANTENHA O FOCO!


Aproveite que você tá madrugando aí na net, com aquela insônia que todo bom TDAH tem e vote no nosso novo layout no face, só não caia na lezeira de curtir as duas fotos, quando você só deve curtir a imagem que você gostou mais.




quinta-feira, 12 de abril de 2012

SOCIAL SÁBADO A NOITE!!!!

QUANDO É MARCADO DE ÚLTIMA HORA É AINDA MELHOR!


O GATRE NÃO MORREU, só tomou chá de sumiço...risos.




Bem pessoal, como sabem estamos super sumidos e quem vive o GATRE tá sabendo as razões deste sumiço, mas calma que já estamos quase resolvendo tudo e aí vamos retornar com toda força!


Olha só, decidimos marcar este social para matar as saudades da galera, do Sushi e das pizzas. 


Novatos que desejarem participar envie um e-mail para tdahrecife@hotmail.com dizendo se é TDAH diagnosticado, familiar acompanhando criança, profissional ou suposto TDAH. Envie seus fones fixo e Tim para que possamos entrar em contato informando o local do evento. O dia é dia 14 agora, às 18h15min, nas proximidades da Ag. Magalhães. 


Os veteranos que quiserem participar ou não avisem a Melissa no fone fácil dela..rs. Caso não possam ir, avisem também por que aí é menos um para ela ligar.


Ligaremos confirmando as reservas hoje no fim do dia!






Saudades de todos, vamos nos reencontrar galera!Ebaaaaaaaa


Nos vemos lá!



quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

SOCIAL DO REENCONTRO

Depois das festividades do fim de ano, as viagens da galera, finalmente o GATRE reassume seu posto e convida:

QUE TAL UM SOCIAL SÁBADO A NOITE?( O LOCAL SERÁ NAS PROXIMIDADES DA AVENIDA RECIFE AS 18H30MIN, O LOCAL SÓ É REVELADO PARA QUEM CONFIRMAR POR QUESTÃO DE PRIVACIDADE E SEGURANÇA DOS DEMAIS MEMBROS DO GRUPO)

SAIA DESTA VIDA DE TÉDIO E VENHA SE DIVERTIR UM POUCO!

Se você desejar participar favor enviar um e-mail para tdahrecife@hotmail.com com as seguintes informações.

NOME
FONE FIXO OU CEL (TIM DE PREFERÊNCIA)
DIGA SE É PORTADOR DIAGNOSTICADO, SEM DIAGNOSTICO, PROFISSIONAL OU FAMILIAR.

Após sua solicitação para participar, vamos entrar em contato por e-mail ou por telefone. Você deverá entrar em contato até sexta pela manhã.

O convite foi lançado para os novatos e para os veteranos, NOS VEMOS LÁ GALERA, SAUDADES DEMAIS!!!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

TRANSTORNOS - SÍNDROME DE TOURETTE

Considerando quem tem um transtorno têm uma tendência a ter outros, resolvemos lançar uma série de vídeos informativos no intuito de fazer com que possamos ajudar aqueles que compartilham de dificuldades assim como nós, talvez não as mesmas, mas sem dúvida os mesmos sentimentos.

Entender sobre os transtornos alheios não é uma obrigação, mas aprender a respeita-los é sem dúvida o mínimo que você, eu e todos nós devemos fazer!




domingo, 20 de novembro de 2011

EVENTO SOCIAL: QUE TAL UMA PIZZA?

Depois de mil anos finalmente o Gatre deu sinal de vida.
E isso é hora?!
São tantas atualizações que nem sei por onde começar. Vamos começar por onde paramos, o evento do campeonato de wii doe brincando aconteceu e foi super legal! Quem não foi perdeu.

O vencedor foi um que nunca pegou em um wii na vida, risos.
Eu consegui!

Mas voltando ao foco, teremos um evento social neste fim de semana, onde vai rolar aquela pizza básica. Quem quiser comer sushi a pizzaria oferece esta opção.

O evento será realizado na pizzaria skillus da ilha do leite, sábado dia 26 às 18h30min. O evento será livre para familiares (crianças também poderão ir), profissionais, portadores e supostos portadores.
Pedimos as mães que levem folha e canetinhas para que as crianças possam ficar desenhando como forma de entreter as mesmas, caso não haja muitas crianças para brincarem juntas. Algum brinquedo também é uma boa opção, assim os pais poderão tirar suas dúvidas sem muitas interrupções. Risos.

Quem desejar participar deverá:

  • NOVATOS - Enviar um e-mail para tdahrecife@hotmail.com dizendo seu nome, telefone fixo e tim e dizendo que quer participar e quantas pessoas irá levar.
  • VETERANOS - Comunicar no grupo fechado que gostaria de participar ou então ligar para Melissa* informando que deseja participar. 
  • OBS: A reserva do local será feita na quinta-feira, então aqueles que não fizerem a reserva conosco não será possível ficar nas mesas do GATRE juntamente com a galera.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

"EU ME ACHAVA BURRA" Entrevista de Ana Beatriz na Veja.

A psiquiatra conta como sofreu com o déficit de atenção 
na infância e como aprendeu a conviver com o transtorno 
que atinge 6% da população em idade escolar Silvia Rogar

Oscar Cabral
"No início da adolescência, bateu uma vontade enorme de mudar. Eu decidi ficar retraída, quieta, para não errar"

A psiquiatra carioca Ana Beatriz Barbosa Silva, 43 anos, especializou-se em traduzir para uma linguagem acessível o universo misterioso dos transtornos mentais. Seu último livro, Mentes Perigosas, apresentou as muitas faces dos psicopatas e há 44 semanas faz parte da lista dos mais vendidos de VEJA. Ela já havia feito uma primeira incursão vitoriosa. Seu Mentes Inquietas,sobre o transtorno do déficit de atenção (TDA), vendeu 200 000 cópias e está sendo relançado. Nesta entrevista, Ana Beatriz fala de sua experiência, da importância do diagnóstico precoce e afirma que, embora não tenha cura, o transtorno permite uma vida normal e criativa.
Como a senhora descobriu que tem o transtorno do déficit de atenção? 
Eu já estava no 3º ano da faculdade de medicina. Tinha 19 anos. Fui a um seminário em Chicago sobre depressão. Consegui errar tudo: cheguei um dia e uma hora atrasada para a primeira aula. Como não apareci, minha inscrição foi cancelada. A atendente da faculdade viu meu desespero e disse que eu poderia me transferir para outro curso, com início naquele dia. O professor era John Ratey, papa do déficit de atenção. Ele começou a detalhar o transtorno e pensei que estivesse falando sobre mim. Chegou a ser incômodo. Quando a aula acabou, fui atrás dele conversar sobre meu comportamento desde a infância. No dia seguinte fiz um teste que revelou que eu tinha TDA em grau grave. Ele então me disse: "Sobreviver, você já sobreviveu. Sabe se virar, frequenta uma boa faculdade. Mas você mata um leão por dia". Comecei então o tratamento. 
Foi um divisor de águas. Senti-me como um míope que põe o primeiro par de óculos e percebe que o mundo é cheio de detalhes. Usei a medicação por cinco anos consecutivos. Hoje, quando escrevo um livro, volto a tomá-la no último mês. É a hora em que junto todas as informações e preciso ter mais senso crítico.
O que provoca o TDA?A pessoa que tem o transtorno nasce com uma alteração no funcionamento do lobo frontal. Essa seção do cérebro é um maestro do comportamento humano, uma área em que se cruzam sistemas neurais ligados à razão. Entre outras ações, regula a velocidade e a quantidade de pensamentos. No TDA, esse filtro funciona com eficiência menor. O resultado é a hiperatividade mental e, consequentemente, a perda de foco, de objetividade. Quem nasce com TDA não tem problema de inteligência, mas de administrar o tempo, fixar a atenção, dar continuidade ao que inicia. O transtorno é muito mais comum do que se imaginava. Segundo a Associação de Psiquiatria Americana, 6% da população em idade escolar tem esse padrão de funcionamento mental nos Estados Unidos. No Brasil, as pesquisas apontam uma média próxima a essa.
O que provoca essa alteração do funcionamento do cérebro? 
É um transtorno químico, causado pela baixa de dois neurotrasmissores: a dopamina e a noradrenalina. Essa alteração diminui a ação filtrante do lobo frontal. A genética já mostrou ter papel importante, mas fatores externos acabam interferindo na evolução do transtorno. Se não é cercada por uma organização mínima, a pessoa pode ter sérios prejuízos em sua qualidade de vida.
"Quem tem TDA presta muita atenção naquilo que desperta seu real interesse. Por isso, é injusto falar de déficit de atenção. O que existe é uma atenção instável"
Como o transtorno interferiu em sua trajetória pessoal? 
Sempre achei que havia algo errado comigo. Na escola, tinha horror a ditado. Meu coração disparava: sabia que precisava prestar atenção ao que a professora dizia e, simultaneamente, observar se não estava cometendo erros ao escrever. Nessas horas, eu me sentia a criança mais burra da sala. Fora do colégio, também sofria. Uma vez meu pai, que é professor, corrigiu tanto meu diário que botei fogo nas páginas depois. Vivia com as pernas roxas de tanto cair e bater nos móveis. Meu armário era uma bagunça absurda. Tenho uma irmã cinco anos mais velha, centrada, organizada. Durante muito tempo, dei a ela parte da minha mesada para que arrumasse meu armário. Todas as vezes que minha mãe reclamava comigo, eu concordava, entendia que ela tinha razão. Mas eu não sabia como tudo isso acontecia. No início da adolescência, bateu uma vontade enorme de mudar. Eu era uma criança falante e me fechei. Fiquei retraída, quietinha, para não errar. Vivia no meu quarto, lendo. Isso foi dos 12 aos 16 anos. Na infância me chamavam de pinga-fogo, porque eu não parava. Na adolescência, quando me tranquei, virei Bia Sid (de sideral). Às vezes, achava que era burra. Por outro lado, sabia que tinha conhecimento e imaginação. Acabava o dia com dor de cabeça de tanto pensar. Era uma angústia.
Mas a senhora hoje é uma psiquiatra bem-sucedida. Como conseguiu isso?
O diagnóstico foi libertador. Passei a me observar. Com a medicação, comecei a fazer mais rápido o que antes demandava muito esforço. Foquei na psiquiatria. No meu trabalho, nada me escapa hoje. Tenho um filme na cabeça sobre cada paciente. Quem tem TDA presta uma atenção acima da média naquilo que desperta seu interesse verdadeiro. É o que a gente chama de hiperfoco. Por isso, acho injusto falar de déficit de atenção. O que existe é uma atenção instável. 
O menino com TDA pode sofrer na escola, mas desenhar muito bem ou tocar piano de ouvido, se essa for a sua paixão. Por isso, é fundamental que os pais descubram os talentos do filho e o estimulem a fazer aquilo de que realmente gosta. Para quem tem TDA, isso funciona como remédio.
Como sua família enfrentou o problema? 
Minha mãe creditava meu comportamento a falhas do método pelo qual fui alfabetizada. Meu pai achava que era preguiça. Mas eles eram compreensivos, porque sabiam que eu não fazia nada de propósito e era honesta, sincera, assumia os erros. Voei de bicicleta no carro do vizinho e meu pai pagou o conserto sem reclamar. Quando eles buscaram um diagnóstico para meu comportamento, os médicos disseram que eu tinha uma disritmia e me passaram um remédio. Devido à sonolência que causou, parei logo de tomar essa medicação. Ainda bem.
Por natureza, as crianças costumam ser agitadas e inquietas. Quando os pais devem desconfiar que o filho sofre do transtorno? 
Na infância, desatenção e impulsividade são normais. Mas, em geral, estão relacionadas a algum motivo específico: porque a criança dormiu mal, está preocupada com alguma coisa, apaixonou-se pela primeira vez. O que acontece é que uma criança com TDA tem esse comportamento de maneira constante e mais intensa. Ela já nasce com o cérebro funcionando dessa maneira e, antes dos 7 anos, é possível perceber isso. Na infância, existe uma profusão de sintomas – e não são notas baixas. O lençol não para na cama porque a criança se mexe demais durante a noite. Também pode falar dormindo. Os professores mandam recados dizendo que aquele aluno é extremamente inteligente, mas isso não se traduz nas avaliações. A criança também é excluída das brincadeiras na escola, porque tem dificuldade de esperar a vez nos jogos em grupo e manter a atenção nas tarefas. Olhar a agenda e os cadernos também ajuda muito: eles refletem a organização do pensamento e como a criança anota as observações que professores fazem durante as aulas. A condição fundamental para o diagnóstico de TDA é a hiperatividade mental. Ninguém adquire TDA ao longo da vida. Quem tem o transtorno já nasceu com esse tipo de funcionamento cerebral. É o histórico que leva ao diagnóstico preciso.
"Quando tive o diagnóstico e comecei o tratamento, eu me senti como um míope que põe o primeiro par de óculos e percebe que o mundo é cheio de detalhes"
Como foi sua vida escolar? 
Nunca repeti ano. Conseguia passar nas provas finais ou na recuperação. Nessa hora, meus pais assumiam uma função, digamos, mais executiva. Eles me ajudavam a me organizar, e aí eu estudava como louca. Quando existe planejamento, vai tudo bem com a pessoa que tem TDA.
O que a senhora aconselha a quem descobre que o filho tem TDA? 
A primeira coisa é ver o grau de sofrimento dessa criança, o nível de desconforto. É preciso ir à escola conversar com professores, ouvir a babá. A partir daí, dar oportunidade à própria criança para que ajude no tratamento, participe. Tenho um paciente que enlouquecia a família. Depois de usar medicação por dois anos e ter uma melhora estupenda, ele disse: "Já tenho noção de como é meu cérebro funcionando da maneira que tem de ser e queria parar de tomar o remédio, tentar do meu jeitinho". Ele ganhou uma percepção de seu comportamento. Outra coisa que os pais devem entender é que ser justo em questão educacional não é tratar os filhos todos da mesma maneira. Eles têm de ver o que cada um precisa. No caso do TDA, é fundamental dar ênfase à disciplina. Inclusive com a mesada. Como ele tende a gastar tudo de uma vez, o dinheiro tem de ser liberado aos poucos, para criar um limite e cumpri-lo. Com meus pacientes, por exemplo, costumo assinar um contrato toda vez que quero alguma coisa. Sempre funciona.
A senhora conta a seus pacientes no consultório que tem TDA? 
Sim, e principalmente as crianças ficam muito aliviadas. Outro dia atendi um paciente que batia a cabeça na parede. A mãe pensou que o filho estivesse louco. E eu disse a ele: "É para tentar parar o excesso de pensamento, né? A cabeça pesa mesmo, mas não é assim que vai melhorar". Ele ficou impressionado porque eu entendia exatamente o que ele estava sentindo. No livro, publiquei experiências minhas com nomes trocados. Como as da estudante de fonoaudiologia que achava que tinha alguma falha de caráter porque se distraía nas aulas, pegava cadernos emprestados com amigas, tirava notas boas e se achava uma fraude.
Quais são as tendências mais modernas no tratamento do transtorno? 
Antes, só existia o metilfenidato (a Ritalina). Mas 15% dos pacientes não respondem bem a ele. É uma substância que surte efeito quando a desorganização e a falta de foco são os fatores que mais atrapalham a vida. Ao longo desta década, a bupropiona, substância usada no tratamento para parar de fumar, mostrou-se muito eficiente também para TDA. A atomoxetina, um tipo de antidepressivo, também passou a ser usada – principalmente nos casos em que depressão e ansiedade se manifestam junto. Costumo dizer que a melhor medicação é a eficaz com a menor dose. Mesmo no tratamento de adultos, começo com dose de criança. E avalio o tratamento complementar necessário. A terapia cognitivo-comportamental tem-se mostrado muito eficaz.
Existe prescrição exagerada de medicamentos hoje? 
Sim. Não se deve prescrever remédio de TDA em um momento de desatenção ou para aumentar a concentração no ano de vestibular, por exemplo. O excesso de informação pode levar o cérebro à exaustão, e a pessoa fica sujeita a distrações, falhas de memória. Mas isso é fruto de uma sobrecarga circunstancial. Quando acaba, os sintomas desaparecem. O que acontece é que, por desinformação, alguns pais solicitam a medicação antes de uma investigação cuidadosa sobre o funcionamento mental do filho. Em quem não tem TDA, o remédio cria um efeito falso, dá apenas vigor numa situação de cansaço extremo.
TDA tem cura?
Não tem cura, mas há grandes chances de um final feliz. No momento em que você entende sua engrenagem, passa a dominá-la em vez de ser dominado por ela. Aí pode até levar vantagens. O excesso de pensamento – que causa exaustão, desorganização e esquecimento – também traz ideias. Existem ideias boas e más. O grande aliado de quem sofre de TDA é um caderninho. Em qualquer lugar, eu anoto pensamentos que já deram origem a capítulos de livros. Mesmo para ideias sem sentido, é vital ter organização. Dali pode sair algo realmente inovador.
Fonte: Veja

terça-feira, 20 de setembro de 2011

CAMPANHA DOE BRINCANDO

Alguma vez já fez algo realmente válido, realmente útil, algo que teve e tem vontade de contar a todos até os dias atuais? 


Pois bem, agora é a hora!






O dia das crianças esta chegando e pensando nos pequeninos carentes o GATRE esta lançando esta campanha revolucionária que irá unir adultos e crianças em um só fim: AJUDAR O PRÓXIMO!


Agora é a hora de dar uma guinada na sua vida e praticar a tão famosa FILANTROPIA,  doar é mais que receber é amar incondicionavelmente, é crer que o mundo pode sim ser um lugar melhor se todos fizerem pelo menos um pequeno gesto de amor.


Tá certo, mas até agora não entendi a relação entre doar e brincar, não seria melhor chamar a campanha de AJUDANDO A QUEM PRECISA, OU POR UM MUNDO MELHOR OU SEI LÁ  O QUE? 




A resposta é: De jeito nenhum! 


Doe brincando esta fundada em um conceito de união, descontração e amor ao próximo. Somos realmente felizes quando fazemos algo de modo tão feliz que mais parece que é brincadeira. Foi pensando nisso que decidimos unir a nossa campanha de doação a um dia de diversão entre os amigos atuais e os futuros amigos.


- Hã? fale mais, tá ficando interessante...risos.


Como o dia das crianças será no dia 12 de outubro (nossa não diga? Risos) decidimos fazer o seguinte:


No dia 09 de Outubro estaremos realizando o campeonato de wii e neste dia será feita a arrecadação dos brinquedos e roupas a serem doadas pelas crianças TDAH em creches extremamente carentes no domingo subsequente ao da arrecadação. 


- Fale mais, fale mais...


Criança TDAH extremamente feliz!rs
Mas quem poderia participar desse CAMPEONATO DE WII?

  • Portadores diagnosticados (maiores de 14 anos)
  • Supostos portadores
  • Profissionais
  • Familiares
Quem não poderia participar?
  • Crianças 
  • Adolescentes entre 12 e 14 anos desacompanhado dos pais ou responsáveis. 
Como será a inscrição?
 
O modelo da inscrição será definido em breve aqui no blog pois, o local do evento esta pendente até o presente momento, por ora somente se preocupe em BUSCAR CONSEGUIR O MÁXIMO DE DOAÇÕES POSSÍVEIS e reservar a dia 09 DE OUTUBRO para doar brincando. 

AJUDAR AO PRÓXIMO É AJUDAR A SI MESMO POR CONSEQUÊNCIA.
Reflita nestas imagens e tenha uma atitude de amor para com o seu próximo.





Contamos com a sua ajuda, doe aquilo que quiser e puder, o importante é querer ajudar!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

8° Encontro TDAH para portadores

A pergunta que não quer calar: ONDE O POVO DO GATRE FOI PARAR?


Calma pessoal, procrastinamos mas já estamos aqui retomando as atividades..risos.

Vamos as notícias de última hora:
  • GATRE promovera no mês de setembro seu primeiro evento esportivo;
  • Breve nosso site estará no ar!
  • Novo método de inscrição já esta em vigor;
  • Membros que já pagaram a taxa da carteirinha, deverão levar uma foto 3x4 no próximo encontro;
  • Eventos voltados para as crianças entrará em analise este mês de setembro;
  • Blog assumirá novos compromissos com seus leitores assíduos;
  • O número de membros no GATRE aumentou consideravelmente nos últimos meses;
  • Estaremos fornecendo uma conta provisória até a abertura da conta em nome do GATRE para o depósito das contribuições para a evolução do nosso grupo.
Bem agora vamos ao que interessa!

DOMINGO, DIA 4 DE SETEMBRO estaremos promovendo o 8º ENCONTRO PARA PORTADORES TDAH, com um maravilhoso LANCHE SOCIAL após o encontro. 

Lembrando que apesar de este encontro iniciar sua programação em setembro, ele corresponderá ao mês de agosto, ao que tudo indica ainda em setembro haverá dois encontros de palestra para retomarmos nossa agenda ao normal. 

Mas como funciona esse bendito encontro?

São portadores ensinado a outros portadores soluções para a problematica que envolve o TDAH na vida cotidiana, trazendo para o grupo princípios e técnicas eficazes. 

Quem pode participar?

Só portadores diagnosticados por profissionais da área de saúde. Algumas exceções serão aceitas mediante aprovação da comissão, para tanto o interessado deverá enviar e-mail para tdahrecife@hotmail.com


O que eu tenho que levar?

De materiais nada, de dinheiro 10,00 para a carteirinha de membro e 10,00 para o kit inicial de materiais. Isso para os novatos, os membros já filiados só levam a contribuição de manutenção dos custos no valor de 10,00 referente ao mês de agosto. 

O que é esse lanche social?

É um lanche que promovemos fruto de doações de pais ou portadores, onde os membros filiados contribuem com 5,00 reais e comem livremente de todas as doações que arrecadarmos.  O objetivo deste lanche é arrecadar fundos para o grupo crescer em ações. 

Que horas começa e que horas termina?

Começa pontualmente as 13h10minutos, e terminar é algo que nunca se sabe, por que como tem o lanche social o pessoal fica batendo papo, botando os assuntos em dia, se conhecendo etc. Para aqueles que possuem algum compromisso urgente sugiro que vá e fique o máximo que puder e então vá. 

Eu posso levar alguém comigo?

Não. O encontro é exclusivo para portadores e não é permitido nem mesmo a presença de crianças acompanhando os pais ou cônjuges.
 

Como faço minha inscrição?

Clique AQUI para fazer sua inscrição online. 

Quando encerra as inscrições?

No sábado ao meio dia!


Por fim, contamos com sua presença neste dia tão maravilhoso, só quem participa sabe como é realmente bom!


OBS: somente confirme sua presença se for realmente, caso contrário não se inscreva pois poderá estar tirando a vaga de alguém que realmente deseja ir. 


 

terça-feira, 26 de julho de 2011

7º ENCONTRO DE PALESTRA PARA PORTADORES TDAH

7º ENCONTRO DE PALESTRA PARA PORTADORES TDAH

Corações aflitos tenham calma!

Já recebemos seu pedido de socorro e marcamos o encontro de palestra para portadores para este próximo domingo dia 31 de julho de 2011 às 13h10.


Vamos ao que interessa, pois o tempo é curto!


ALGUMAS OBSERVAÇÕES PARA O PRÓXIMO ENCONTRO PARA PORDADORES:

  • ·         De agora em diante (novatos e atuais membros) os membros que desejarem se filiar ao GATRE deverão pagar uma taxa de 10,00 para o kit inicial de materiais e 10,00 para a confecção de carteirinha de membro do GATRE para ter acesso ao grupo e também aos convênios ora conseguidos pelo Gatre. Estes valores corresponderiam a uma “matrícula”.  
  • ·         Materiais que desejarem compartilhar deverão ser passados pela diretoria antes para receber aprovação (o mesmo se repete para sites indicados nos perfis do GATRE).
  • ·         Somente portador diagnosticado poderá fazer parte do encontro! Os demais casos deverão nos procurar por e-mail relatando a situação para ser analisada.
  • ·         Não é permitida a entrada de acompanhantes (independe a idade).
  • ·         Todos os pagamentos de taxas e as contribuições deverão ser pagos no dia do encontro por ora. Os que não puderem pagar nos procure que vamos dar um jeito de ajudar.


COMO ME INSCREVO?E DEPOIS COMO SERÁ?

  1. 1.    Baixe o formulário de inscrição AQUI!
  2. 2.    Preencha e envie para o e-mail tdahrecife@hotmail.com (no formulário coloque um celular TIM ou fixo de preferência para entrarmos em contato).
  3. 3.    Aguarde até sábado à noite, quando entraremos em contato em algum momento informando o local do encontro por e-mail ou por ligação.
  4. 4.    Seja pontual no dia 31 de julho de 2011 às 13h10(próximo domingo)Encontros de palestras não são como sociais.
  5. 5.    Por fim, aprenda se divertindo! O Gatre se propõe a uma proposta diferenciada com princípios e técnicas de portador para portador. Vai ser a experiência mais legal que já vivenciou pode ter certeza disto, não é por acaso que quem tá dentro não quer sair.



 OBS: Dada a quantidade de pessoas no grupo no momento, talvez estaremos limitando a quantidade de vagas, pois nosso espaço já esta pequeno. Até sexta vamos ter essa informação, na dúvida faça logo sua inscrição e garanta a sua vaga!
Ocorreu um erro neste gadget